publicidade

TKO Group chega a acordo de $335 milhões para encerrar processos de Antitruste movidos por ex-lutadores do UFC

Lutadores alegaram violações antitruste; TKO Group concorda em pagar $335 milhões para encerrar litígio
Reprodução: Instagram Topuria
Reprodução: Instagram Topuria

A TKO Group, empresa-mãe do Ultimate Fighting Championship (UFC), anunciou hoje que chegou a um acordo para encerrar dois processos de antitruste movidos por ex-lutadores do UFC. Esse acordo histórico permitirá que a TKO evite um julgamento potencialmente prejudicial e encerrar anos de litígio.

Os processos, que datam de anos anteriores, foram iniciados contra a Zuffa, a antiga entidade proprietária e operadora do UFC. Alegações feitas pelos ex-lutadores incluíam violações das leis antitruste, alegando que a Zuffa pagava aos lutadores do UFC muito menos do que eles mereciam e mantinha um monopólio injusto sobre o mercado de artes marciais mistas (MMA).

Os primeiros processos foram movidos por Cung Le, Nate Quarry e Jon Fitch em dezembro de 2014, e posteriormente foram consolidados em uma única ação com a participação de outros lutadores, como Brandon Vera, Luis Javier Vazquez e Kyle Kingsbury. Em 2021, Kajan Johnson e C.B. Dollaway também entraram com uma ação coletiva semelhante contra a Zuffa e a Endeavor, a atual proprietária do UFC.

O acordo final, no valor de impressionantes $335 milhões de dólares, será pago em parcelas ao longo do tempo. Essa resolução permite que a TKO Group evite um julgamento que poderia resultar em danos ainda maiores, pois os ex-lutadores buscavam até $1,6 bilhão de dólares em compensação.

Após o anúncio do acordo, as ações da TKO Group subiram mais de 7% no mercado, mostrando confiança dos investidores na resolução favorável do litígio. A empresa espera submeter os termos do acordo ao tribunal para aprovação nos próximos dias.

A TKO Group, formada pela fusão entre o UFC e as promoções da World Wrestling Entertainment (WWE), está sob a liderança da gigante de entretenimento e esportes Endeavor. O acordo marca um passo significativo para a empresa na resolução de disputas legais e permitirá que ela continue a concentrar seus esforços em promover o esporte e seus atletas em todo o mundo.

O UFC também emitiu um comunicado expressando sua satisfação com o acordo, afirmando que beneficiará todas as partes envolvidas e encerrará um capítulo importante na história da organização.

Compartilhe:

publicidade

Victor Boscato, 21 anos, jornalista, atua no mercado esportivo há 3 anos. Trabalhou como redator do Denarius e São Paulo Para Crianças.Trabalha na Neo Brands atualmente e atua como estagiário dessa agência de publicidade brasileira com foco em marketing esportivo.

Nota do editor: os textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais iconográficos publicados no espaço “opinião” não refletem necessariamente o pensamento do Sports MKT, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

POST RECENTES

Polêmica na distribuição de ingressos para a final da Liga Europa no Aviva Stadium
Brentford FC inova com tecnologia de dados em seu estádio
Stuttgart celebra modernização da MHP Arena
Umbro e Santos revelam uniformes para 2024 com homenagem à Vila Belmiro
Vasco anuncia novo uniforme para a temporada 2024 com homenagem a Roberto Dinamite
Premier League terá novas regras financeiras após votação unânime dos clubes