publicidade

As quadras de tênis estão se tornando passarelas para as marcas de luxo?

Visão estratégica sobre as marcas de moda de luxo estarem cada vez mais imersivas no mundo do tênis, com foco na nova geração de atletas
Reprodução: Instagram Jannik Sinner

De fato, o esporte e a moda têm sido aliados ao longo da história. Diversas modalidades esportivas têm influenciado o mundo da moda, e o tênis é certamente uma das mais notáveis.

Desde sua origem até a popularização global, o tênis sempre esteve associado à elegância e ao requinte. Com o tempo, esse aspecto sofisticado tornou-se um atrativo para as marcas de moda de luxo, que viram no esporte uma oportunidade de associação ao lifestyle exclusivo e aspiracional.

Exemplos de parcerias entre marcas e ídolos do tênis não faltam, mas nesse texto gostaria de destacar exclusivamente a nova geração: o espanhol Carlos Alcaraz (20) e a japonesa Naomi Osaka (25) com Louis Vuitton, o italiano Jannik Sinner (21) com a Gucci e a britânica Emma Raducanu (20) com a Dior.

Ambos atletas fazem parte da NextGen (“next generation”) e possuem uma personalidade própria muito marcante. Não só isso, é preciso ressaltar que ambos são jovens e promessas da modalidade.

No ponto de vista estratégico sobre a marca, ela alcança visibilidade e credibilidade em meio a uma legião de fãs, reforça seu posicionamento, cria associações com os principais atributos do tênis e da personalidade do atleta, inicia relacionamento com novos públicos, rejuvenesce a imagem e cria possibilidades de coleções exclusivas.

No entanto, saindo do óbvio, a marca torna-se ainda mais aspiracional, exclusiva e cheia de status. Afinal, são poucos os atletas profissionais que utilizam dos artigos de luxo da marca, e desses selecionados, ambos são ídolos e referências para uma nação e aos entusiastas do tênis, que curiosamente, possui cerca de 1 bilhão de fãs.

Válido ressaltar também o “fora das quadras” do tênis. Atualmente, é notória a presença do esporte não somente como prática em si, mas como estilo de vida, moldando uma série de ações do indivíduo e, dentre elas, suas roupas. Assim, a marca consegue se posicionar à frente de diversas ocasiões de uso.

Para as marcas de sportswear, o aprendizado que fica é de cada vez mais aproximar a moda ao esporte, alinhando o lifestyle com a performance, por meio de coleções clássicas e funcionais, que garantem um estilo na performance esportiva e no fora das quadras.

Por fim, a reflexão que deixo é sobre o futuro das marcas de moda de luxo no tênis. Será que elas estarão cada vez mais inseridas no sportswear, concorrendo com grandes players no mercado como Nike, Adidas, Fila e Asics? Algo é fato, essa movimentação já vem sendo realizada com a Hugo Boss, a Lacoste e a Armani. 

E aí, qual a sua opinião?

Compartilhe:

publicidade

Tiago Clemente, 22 anos, publicitário e apaixonado por esportes. Iniciou sua carreira na Nestlé e hoje coordena os patrocínios de atletas e eventos da FILA. Por meio de sua escrita, ele busca trazer curiosidades, análises estratégicas e opiniões sobre o universo esportivo. Fora do trabalho, ele se dedica à corrida e adora acompanhar futebol e tênis.

Nota do editor: os textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais iconográficos publicados no espaço “opinião” não refletem necessariamente o pensamento do Sports MKT, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

POST RECENTES

Vitória do Bayer Leverkusen mostra que há luz no fim do túnel do futebol
New York Jets revela nova identidade visual
New York Jets revela novos uniformes "Legacy Collection" para a temporada 2024
Fórmula 1 anuncia retorno do GP da Austrália como corrida de abertura na temporada de 2025
Arsenal e PRIME lançam garrafa personalizada
Polêmica na distribuição de ingressos para a final da Liga Europa no Aviva Stadium