publicidade

Apple Music paga à NFL US$50 milhões anualmente para patrocinar o show do intervalo do Super Bowl

Artistas abrem mão do cachê milionário no Super Bowl em troca da exposição global e oportunidades de negócios
Reprodução: Instagram Kansas City Chiefs
Reprodução: Instagram Kansas City Chiefs

A parceria entre a Apple Music e a NFL, avaliada em impressionantes US$ 50 milhões anuais para patrocinar o show do intervalo do Super Bowl, parece uma oportunidade de ouro para os artistas envolvidos. No entanto, um olhar mais atento revela que a estrela da vez, Usher, não receberá nada desse montante. Em vez disso, ele se apresentará gratuitamente, capitalizando a exposição para ganhar seguidores, vender ingressos e aumentar os números de streaming.

Alguns dos artistas mais famosos do mundo já se apresentaram no Super Bowl, incluindo nomes como Prince, Michael Jackson, Beyoncé e Rihanna. No entanto, nenhum deles recebeu pagamento pelo seu espetáculo. Em vez disso, a NFL assina um acordo de patrocínio de US$ 50 milhões, dos quais os artistas recebem um orçamento de produção de aproximadamente US$ 15 milhões.

Este orçamento cobre os custos de cerca de 2.000 a 3.000 trabalhadores temporários, incluindo cenografia, segurança, dançarinos e marketing. No entanto, os artistas não têm acesso a esse dinheiro. Na verdade, alguns deles acabam gastando milhões de dólares do próprio bolso na performance. O Weeknd, por exemplo, desembolsou US$ 7 milhões de seu dinheiro pessoal em seu show no Super Bowl 55.

Mas por que eles fazem isso? A resposta é exposição. Com uma audiência de 115 milhões de espectadores, o Super Bowl oferece uma vitrine sem precedentes. Para Usher, os 13 minutos de apresentação gratuita representam um comercial contínuo e valioso diante de milhões de pessoas, muito mais do que ele poderia conseguir com sua taxa de apresentação.

Os dados comprovam essa estratégia. Justin Timberlake viu um aumento de 534% nas vendas de música após o Super Bowl 52, enquanto Jennifer Lopez e Shakira ganharam 3 milhões de seguidores no Instagram após o Super Bowl 54.

Os números de Rihanna foram ainda mais surpreendentes. Após sua apresentação, ela se tornou a artista mais ouvida globalmente, com 17 músicas no Top 40 do Spotify e um aumento de 833% nas pesquisas por Fenty Beauty.

Essa exposição massiva não só impulsiona as vendas de música, mas também aumenta as buscas por ingressos de shows. O The Weeknd vendeu 1 milhão de ingressos após sua apresentação, levando Usher a anunciar imediatamente uma turnê de 24 cidades após o Super Bowl.

Para os artistas, o Super Bowl oferece uma oportunidade única de alcançar uma audiência global e impulsionar suas carreiras. Para a NFL, é a garantia de entretenimento de classe mundial em seu maior evento, sem nenhum custo direto. Assim, mesmo sem receber pagamento, os artistas estão mais do que dispostos a se apresentar gratuitamente.

Compartilhe:

publicidade

Victor Boscato, 21 anos, jornalista, atua no mercado esportivo há 3 anos. Trabalhou como redator do Denarius e São Paulo Para Crianças.Trabalha na Neo Brands atualmente e atua como estagiário dessa agência de publicidade brasileira com foco em marketing esportivo.

Nota do editor: os textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais iconográficos publicados no espaço “opinião” não refletem necessariamente o pensamento do Sports MKT, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

POST RECENTES

Sand Series arrecada fundos para construção de quadra em comunidade de São Paulo
Vitória do Bayer Leverkusen mostra que há luz no fim do túnel do futebol
New York Jets revela nova identidade visual
New York Jets revela novos uniformes "Legacy Collection" para a temporada 2024
Fórmula 1 anuncia retorno do GP da Austrália como corrida de abertura na temporada de 2025
Arsenal e PRIME lançam garrafa personalizada