publicidade

A Revolução do Streaming no Cenário Esportivo

Há pouco tempo o cenário de transmissões era focado na tv
Reprodução: Freepik
Reprodução: Freepik

Nas transmissões esportivas, a linguagem sempre desempenhou um papel crucial na conquista da audiência, consolidando o futebol como o esporte mais querido globalmente. No entanto, na era digital, uma nova revolução está em curso, marcada pela acirrada competição entre as transmissões televisivas tradicionais e a crescente influência do streaming. Este último não apenas se equipara à televisão, mas, em muitos aspectos, a desafia, especialmente ao atrair um público jovem em busca de experiências inovadoras e dinâmicas.

A Transformação Fundamental no Consumo Esportivo

Em um passado recente, o monopólio das transmissões esportivas no Brasil estava restrito a apenas dois ou três canais de televisão, muitas vezes até menos. No entanto, com o advento do streaming, essa dinâmica mudou drasticamente, dando lugar a uma multiplicidade de opções e redefinindo a maneira de consumo do conteúdo esportivo. O streaming, caracterizado pelo uso de tecnologia avançada para o envio de informações multimídia, sem a necessidade de armazenamento local, opera por meio da transferência contínua de dados pela Internet, introduzindo um dinamismo único ao meio de comunicação.

A Nova Fronteira do Streaming

A transição das transmissões televisivas para o streaming não é apenas uma mudança de formato; é uma transformação fundamental na maneira de vivenciar o esporte. A concorrência entre essas duas formas de transmissão não é apenas evidente, mas está moldando a paisagem do marketing esportivo de maneiras inéditas. A batalha não é apenas pelo direito de transmitir, mas também por uma linguagem que ressoe com o público contemporâneo, especialmente entre os jovens ávidos por um conteúdo diferente.

O Crescimento Orgânico do Streaming

O streaming não é mais apenas uma alternativa à televisão; é uma evolução natural na maneira de consumo do entretenimento esportivo. O Relatório Convocados, da consultora XP, em parceria com a Sport Track, revela que o consumo de streaming para conteúdo esportivo aumentou em 30% no Brasil de 2020 a 2021. Esse crescimento é uma resposta direta à demanda de uma audiência que busca flexibilidade, variedade e uma experiência personalizada.

A partir de 2024, espera-se que o crescimento do streaming se intensifique ainda mais. A multiplicidade de opções não apenas desafia a hegemonia da televisão, mas também promove uma competição saudável entre diferentes plataformas de streaming. A Amazon, Paramount+, Star+, Disney, HBO Max, CazéTV e outras não estão apenas transmitindo eventos esportivos, mas estão integrando o futebol ao universo mais amplo do entretenimento, rompendo com as fronteiras tradicionais.

A convergência do futebol com o entretenimento, impulsionada pelo streaming, parece transformar a antiga frase “futebol é coisa de cinema” em realidade. Estúdios americanos estão incorporando o futebol em seus serviços, estabelecendo uma nova narrativa no cenário esportivo. 

A Ascensão do Streaming nas Plataformas Digitais

O poder do streaming é especialmente evidente nas plataformas de redes sociais, onde o futebol se reinventa como o “Esporte das multidões”. Casimiro Miguel, ou Cazé, é um exemplo proeminente desse fenômeno. Suas transmissões ao vivo no canal da Twitch durante a pandemia, seguidas pela criação do canal Cazé TV no YouTube, destacam não apenas a mudança na forma como o futebol é consumido, mas também a ascensão de novos influenciadores no cenário esportivo.

Em eventos como a última Copa do Mundo, Cazé não apenas quebrou recordes de visualizações, mas desafiou a supremacia da TV Globo, tornando-se uma força competitiva no streaming. Isso não apenas amplia as opções de transmissão, mas também redefine a narrativa do marketing esportivo, colocando o público no centro da experiência.

O Papel do Jornalismo no Streaming

A migração de narradores e jornalistas experientes para o streaming destaca a importância do jornalismo na construção da credibilidade dessas plataformas. Galvão Bueno lançou seu canal no YouTube após deixar a Globo, destacando a colaboração entre experiência e novas plataformas. Cléber Machado, agora na Amazon Prime Video, reforça a ideia de que a informação precisa ser prioritária em qualquer plataforma, seja ela tradicional ou digital.

À medida que o streaming continua sua ascensão, não apenas como uma alternativa à televisão, mas como um concorrente de peso, o marketing esportivo enfrenta um cenário dinâmico. Plataformas precisam não apenas conquistar direitos de transmissão, mas também oferecer uma experiência envolvente e autêntica. Clubes e federações devem se adaptar a esse novo ecossistema, aproveitando as oportunidades geradas pelo streaming para alcançar um público diversificado e global.

Em última análise, o streaming não representa apenas uma mudança na forma de consumo de esportes; é uma revolução que redefine o marketing esportivo, abrindo novas fronteiras e oportunidades para todos os envolvidos. Uma coisa é certa: o jogo está apenas começando.

Compartilhe:

publicidade

Victor Boscato, 21 anos, jornalista, atua no mercado esportivo há 3 anos. Trabalhou como redator do Denarius e São Paulo Para Crianças.Trabalha na Neo Brands atualmente e atua como estagiário dessa agência de publicidade brasileira com foco em marketing esportivo.

Nota do editor: os textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais iconográficos publicados no espaço “opinião” não refletem necessariamente o pensamento do Sports MKT, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

POST RECENTES

Vitória do Bayer Leverkusen mostra que há luz no fim do túnel do futebol
New York Jets revela nova identidade visual
New York Jets revela novos uniformes "Legacy Collection" para a temporada 2024
Fórmula 1 anuncia retorno do GP da Austrália como corrida de abertura na temporada de 2025
Arsenal e PRIME lançam garrafa personalizada
Polêmica na distribuição de ingressos para a final da Liga Europa no Aviva Stadium