publicidade

A importância de um jogador midiático para os patrocinadores

As empresas acabam fazendo grandes esforços para ter esses jogadores
Belligham comemorando
Reprodução: Instagram Belligham
[category_info]

As grandes marcas adoram ter suas logos estampadas em times que tem algum jogador que chame a atenção, um jogador midiático. Mas o que faz um jogador se tornar atrativo as marcas?

Podemos passar horas debatendo se são os gols, a personalidade, o carisma ou um conjunto de fatores que fazem o jogador ser “especial” para uma marca, mas o que não tem como negar é que quando essas características estão entrelaçadas o atleta certamente é um fenômeno midiático.

Vamos citar o caso de dois jogadores muito novos, Jude Bellingham e Mbappé.

O Bellingham foi comprado pelo Real Madri por €103 milhões, mas certamente esse valor acabou saindo barato tanto pelo retorno financeiro quanto esportivo que o jogador oferece ao clube. 

O jogador inglês assume o papel de garoto propaganda da Adidas e já caiu nas graças de não só os torcedores do Real mas dos amantes de futebol.

Jude tem tudo o que a Adidas procurava para um garoto propaganda, gols, carisma e não podemos deixar de falar da icônica comemoração do atleta. Qual marca não gostaria de estar estampada em um jogador que a comemoração já “abraçou o mundo”?

Segundo relatos de uma das lojas do Real Madri, a cada dez camisas sete são vendidas com o nome de Jude Bellingham.

Segundo o GlobalData Intelligence Center, Jude Bellingham recebe atualmente US$3 milhões por ano em patrocínios, provenientes exclusivamente da Adidas.

É incontestável que essa cifra tende a expandir, antecipando a possibilidade de Bellingham conquistar centenas de milhões, à medida que a Adidas busca associar-se ao jovem, especialmente após sua transferência para o Real Madri.

O francês Kylian Mbappé tem as mesmas características que as marcas gostam, mas com a diferença dele ser um jogador mais “polêmico e marrento”.

Essa “marra” não acabaria sendo um problema para a marca?

As pessoas gostam de “polêmicas boas”, então se não for nada de grave as marcas agradecem, pois o nome do atleta junto com o patrocínio certamente vão estar nas grandes mídias após alguma declaração ou ação do jogador.

A Nike patrocina é a patrocinadora de Mbappé e após a saída de Neymar e Messi do Paris Saint-Germain a empresa deve ter esbanjado um sorriso no rosto. Agora o jovem francês tem o caminho livre para ser o “Rei de Paris” levando Swoosh para o mundo todo, principalmente a influência que isso teria se o jogador conseguisse conquistar uma Champions League com o PSG.

Com Messi no time, 54% das camisas eram vendidas com o nome do argentino, um problema para a Nike, pois o jogador era patrocinado pela rival, a Adidas.

As vendas das camisas de Messi também atingiram níveis impressionantes, com o ícone do futebol sendo responsável por 60% das transações de vestuário do PSG.

O clube parisiense registrou a comercialização de mais de um milhão de camisas, com os preços variando de € 89 a €49 cada.

Marc Armstrong, diretor de negócios do PSG, destacou que a demanda por camisolas de Messi cresceu entre 30% e 40%, sendo a oferta o único obstáculo para atender completamente a essa crescente procura.

O Mbappé ganhou US$15 milhões com patrocínios em 2022, segundo a Forbes. Ele tem parceria com marcas como Nike, Oakley e Hublot, e também é foi o rosto da capa do jogo Fifa 23.

De acordo com dados do Celebrity Net Worths, o jogador ganha cerca de US$10 milhões anualmente com patrocínios. Seu principal contrato é com a Nike e ele assinou um contrato de US$187 milhões por 10 anos com a empresa americana.

Essa sinergia entre astros, cada um com sua narrativa única, não só impulsiona as vendas de produtos licenciados, mas também cria um mosaico de oportunidades comerciais. O sucesso coletivo dessas estrelas não apenas atrai novos patrocinadores, mas também molda a percepção global para os times que contam com esse tipo de jogador como uma marca que transcende fronteiras esportivas.

Assim, ao explorar o impacto comercial, é crucial reconhecer que a magia não reside apenas em um jogador, mas na harmonia e colaboração de talentos que iluminam o caminho para o sucesso de marketing de um clube.

Compartilhe:

publicidade

Victor Boscato, 21 anos, jornalista, atua no mercado esportivo há 3 anos. Trabalhou como redator do Denarius e São Paulo Para Crianças.Trabalha na Neo Brands atualmente e atua como estagiário dessa agência de publicidade brasileira com foco em marketing esportivo.

Nota do editor: os textos, fotos, vídeos, tabelas e outros materiais iconográficos publicados no espaço “opinião” não refletem necessariamente o pensamento do Sports MKT, sendo de total responsabilidade do(s) autor(es) as informações, juízos de valor e conceitos divulgados.

POST RECENTES

Polêmica na distribuição de ingressos para a final da Liga Europa no Aviva Stadium
Brentford FC inova com tecnologia de dados em seu estádio
Stuttgart celebra modernização da MHP Arena
Umbro e Santos revelam uniformes para 2024 com homenagem à Vila Belmiro
Vasco anuncia novo uniforme para a temporada 2024 com homenagem a Roberto Dinamite
Premier League terá novas regras financeiras após votação unânime dos clubes